terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Passeios Aromáticos


Fotografia de ayshynek - Torre dos Clérigos 2007



Passavam apenas dois minutos das doze badaladas, escutaram-nas como se solfejassem o grito da Terra. Estavam sentados após um dia cheio de caminhadas e repousavam agora. Tinham vagado o Porto por inteiro, desde Francos à Ribeira não houve lugar que tivesse escapado. Consigo traziam a causa da criação do mundo numa película da sétima arte. Não se sentiam cansados mas o corpo já desistia e os olhos encetavam a pesar, com tudo, insistiam na conversa deitados à Reitoria da Universidade do Porto. Articulavam sobre os Jardins do Palácio, a Torre dos Clérigos, a Ponte D. Luís, a Praça da Batalha, a Casa da Musica e tudo mais que tivessem visto, assim adormeceram.

Hoje era, justamente, a madrugada de sete de Março, estava frio e chuva, não parecia melhorar. Ali, na Praça dos Leões, dormiam os dois corpos gélidos pela brisa da aurora, sem propósito os corpos foram se achegando e agasalhando, forma instintiva de alguma forma dispersar o frio. Dormiram até o sol raiar por entre as nuvens pesadas de suores nefastos.

Eram sete e meia da manhã, inacreditávelmente o sol já ia alto. Um fecho de luz abriu-se como se patenteasse os corpos húmidos e suados. A imagem parecia produzir um tenebrismo de Caravaggio, a fachada cinza escuro, os pórticos negros, o chão cinza e um fecho de luz amarelo sobre os dois corpos, um vestido de negro e outro de vermelho. Acordaram alguns momentos depois, o sol encandeava-lhes os olhos e sentiam um cheiro enérgico a sexo. Uma jovem de catorze ou quinze anos, alcoolizada, vertia lágrimas enquanto clamava por mais, ao mesmo tempo, dois homens universitários a abatiam de prazer aproveitando-se da sua tenra idade. Aquele local parecia ser um lugar de “expulsão” nocturna.

Levantaram-se e certificaram o material, a cassete estava pronta, despediram-se e partiram rumo ao seu lugar no seio familiar. Só mais uma noite só mais uma película.


Texto de Ayshynek

3 comentários:

Ogi disse...

Primeiramente, agradeço as palavras que hoje me dedicaste! São-me muito importantes, e acredites ou não, guarda-las-ei aqui dentro deste órgão palpitante, para quando formos os dois uns cotas, relembrar-mo-nos das coisas que dissemos aquando a juventude ainda nos percorria as veias =D
Em relação ao texto... Gostei!
Não sei que bicho é que te mordeu, mas estou a gostar da evolução =D
Não posso me despedir, sem antes deixar aqui registado dois pequenos à partes =D
Um... Música muito fixe que está a acompanhar o texto! Curti bastante!
Dois... Gostei da história! E revejo-me um bocadinho nela, quando se fala em passeios criativos e com o intuito de ir à descoberta da cidade até à manhã do dia seguinte! Mas devo também de dizer, que a habilidade que esses dois 'corpos deitados' tinham em conseguir cheirar o odor a sexo da pita alcoolizada... guinness! é a única coisa que digo!
Faro apuradíssimo! XD


Abraço homem*

Miss Lau disse...

so de pensar que antes escrevias textos de 20 linhas sem virgulas nem pontos finais...
:P



:)

gostei meu querido.

lost in amsterdam disse...
Este comentário foi removido pelo autor.