terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Olhares Rasgados


Fotografia de ayshynek

Encontramo-nos casualmente, caminhamos na mesma direcção e paramos no mesmo local. És tu e eu não tenho duvidas disso! Olho o relógio e tu olhas em mim, paras e na ânsia da resposta surjes com uma pergunta em língua estranha à qual me vejo duvidoso em responder e esperas em mim receber resposta sorridente. Enquanto esperas, olhas-me de olhar rasgado, cara perdida e corpo tremulo do frio, eu de alma quente desejo responder-te mas vejo minha mente fraquejar. Após alguns instantes de troca de olhares eu respondo-te:
-"É aqui!"
-"Vens comigo? Leva-me lá..."
Não sabia se aceitar ou não, mas teu corpo desenhado e bem vestido por trapos coloridos impôs me um sim ao teu pedido, e fui... Ofereci-te um gelado preferiste uma cerveja, convidei-te a um chá desejas-te um snack. Tudo no teu corpo e na tua postura parecia não corresponder à realidade criada por cânones das boas maneiras. Mas isso agradava-me em ti, o mistério, a ilusão e a gula por mais! Passeamos sobre ruas nunca antes caminhadas desta forma, apertamos a mão e afrontamos o mundo, caímos sobre a ira do irracional. Vimos o sol passar pela lua e a noite a cair clara, nesse momento chegou o fim. Voltas-te as costas e vi pela primeira vez o teu longo cabelo negro, tão liso como a água que corre. Fiquei deslumbrado acariciando este momento até que percebi que não mais te ia ver. Tu estavas de partida, não voltarias mais! O teu voo levar-te-ia até ao outro lado do mundo onde se encontram todos os teus queridos. Talvez um dia voltes e eu ainda lembre a tua cara, talvez um dia voltes e ainda lembres meu rosto, talvez nunca voltes e sejamos felizes para sempre!

A ti minha querida _________.


Texto de Ayshynek

5 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

Muito bonito este texto, ficção ou não, está muito bem elaborado.

Sabes que tenho um mini - conto muito parecido com este.

Gostei de ler-te, e deixo um beijo de amizade

© Piedade Araújo Sol disse...

Em tempo.

Também gostei das tuas fotos no deviantart!

APO (Bem-Trapilho) disse...

Olá! vim conhecer o teu espaço.
belo texto! escreves muito bem. e falas de sentimentos, o que é sempre muito bom! adorei a musica que propuseste! é uma delicia ler-te com ela por fundo!!!
este texto fez-me lembrar uma cronica que li há muitos anos da Helena Sacadura Cabral que falava igualmente de um encontro entre voos num aeroporto qualquer. mas desse ficou uma prova fisica, uma frasco de perfume. Os anos passaram, a lembrança do rosto desvaneceu-se mas o cheio permaneceu intacto! :)
até sempre!

Ogi disse...

Nunca mais, irei acreditar em nada que me disseres!
Não tenho jeito nem gosto de escrever blá blá blá .!. mentiras!
Gostei imenso do texto, e independentemente da veridicidade ou não do texto, gostei imenso!
E uma perda, seja ela qual for, é sempre uma lição que a vida nos dá, para crescer-mos só mais um bocadinho!

Keep on brother!

www.impctar-se.blogspot.com disse...

olá
amei seu texto!
continue assim parabens
q Deus te abençoe mto mto e mto

shalom!!!!